Logo Baru Observatório

O Cerrado na COP 30

O Popular

31 de agosto de 2023

Compartilhe nas redes sociais

Enquanto eventos climáticos extremos ocorrem nos estados do sul do país e a Europa e os EUA registram ondas históricas de calor, o Brasil se prepara para sediar a COP 30, principal conferência internacional sobre o clima da Organização das Nações Unidas (ONU), na cidade de Belém do Pará, em 2025.

O evento traz maior responsabilidade ao país de apresentar indicadores positivos para o clima e para o meio ambiente. A escolha da cidade-sede direciona os holofotes do mundo à Floresta Amazônica. Mas não só da Amazônia vive e respira o meio ambiente. No último dia 6, a Assembleia Legislativa de Goiás homenageou, com a comenda Washington Novaes, personalidades que se destacaram na defesa ambiental em Goiás. O evento retratou o pioneirismo do jornalista que a intitula e destacou a importância do bioma Cerrado como principal responsável pela manutenção das bacias hidrográficas do país.

Na ocasião, o presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Mauro Pires, anunciou o lançamento do Plano de Ação para prevenção e controle do desmatamento e das queimadas no Cerrado (PPCerrado), em 11 de setembro, Dia Nacional do Cerrado, e declarou sua prioridade. Segundo Pires, é possível transformar pastagens em áreas de produção agrícola, de modo suficiente a atender à demanda agrícola mundial, sem a necessidade de desmatar ainda mais.

O Cerrado é o bioma que mais possui capacidade de regenerar-se, mas não é inesgotável. Seus aquíferos, vegetação e biodiversidades podem chamar a atenção do mundo e a COP 30 será o grande momento para isso, por meio dos resultados advindos do PPCerrado, atraindo investimentos para o estado e ao país.

Goiás, 8ª economia nacional, tem por vocação a produção agropecuária, e registrou crescimento recorde em 2022. Nesse contexto, o PPCerrado deve ser recebido como uma grande oportunidade de mostrar ao mundo que é possível aumentar a produtividade, preservando a vegetação nativa e o meio ambiente.

O Ministério Público, por meio de seus promotores com atuação ambiental, imbuídos da sua missão constitucional (art. 129, III, CF), resguardará os princípios da prevenção e o da vedação de retrocesso na defesa do nosso bioma. Temos pouco mais de dois anos nesse engajamento, para o qual todos são chamados a participar, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defender o Cerrado ecologicamente equilibrado para as atuais e futuras gerações. Enfim, Goiás poderá mostrar para o mundo que de fato “é bom demais”!

© 2024 Baru Observatório - Alguns direitos reservados. Desenvolvido por baraus.dev.