Logo Baru Observatório

Agricultura orgânica sente o ‘peso’ do calor mais severamente

Altas temperaturas e o excesso de luminosidade podem causar queimaduras em folhas e frutos orgânicos mais intensamente, além de causar distúrbios fisiológicos nas plantas

G1 Goiás

14 de novembro de 2023

Compartilhe nas redes sociais

As mudanças climáticas sentidas pelo planeta também são motivo de preocupação para a produção agrícola orgânica. As altas temperaturas podem causar queimaduras em folhas e frutos, além de sérios distúrbios fisiológicos nas plantas, como diminuição da fotossíntese, degradação de enzimas e diminuição da estabilidade de membranas celulares.

Na agricultura orgânica, a onda de calor afeta ainda mais severamente a produção de variadas cadeias. No setor de hortifrúti, por exemplo, grande parte dos alimentos produzidos são extremamente sensíveis a altas temperaturas. Isso afeta desde a lavoura no campo até o alimento que chega à mesa do consumidor.

Neste contexto preocupante, onde as temperaturas chegam a beirar os 40°C em Goiás, agricultores orgânicos buscam soluções que ofereçam mais conforto térmico para as plantas se desenvolverem. Produtores rurais já utilizam um protetor solar específico para agricultura que evita a incidência de radiação excessiva e as altas temperaturas nas plantas.

As tecnologias disponíveis no mercado coíbem a possibilidade de estresse climático nas lavouras, uma das principais preocupações dos produtores. O protetor solar Surround WP, por exemplo, é capaz de reduzir a temperatura das plantas em uma média de até 4°C. Pulverizado diretamente sobre as folhas, a alternativa usada no campo faz com que as plantas tenham a capacidade de realizar fotossíntese por um período de tempo maior. O impacto é visto na qualidade dos produtos.

Produto orgânico

Um dos principais diferenciais do Surround WP, destacado pelo engenheiro agrônomo da AHL Agro, empresa que distribui o produto em Goiás e região, Diogo Alfaix, é que é um insumo orgânico e pode ser usando em lavouras ou plantas que não utilizam agrotóxicos. Além de não fazer mal nem aos seres humanos, nem ao meio ambiente. “O Surround WP é um pó molhável, a base de Caulim purificado, isento de metais pesados e formulado”, detalha.

O engenheiro agrônomo explica que o início do estágio reprodutivo da planta, quando acontece a floração, é um período crucial. Segundo o especialista, o cuidado deve ser redobrado exatamente neste momento. “É por isso que o protetor deve ser aplicado pouco antes deste estágio, cerca de 40 dias depois do plantio, um momento em que ela está sensível e não pode sofrer estresse”, finaliza Diogo.

© 2024 Baru Observatório - Alguns direitos reservados. Desenvolvido por baraus.dev.