Logo Baru Observatório

Levantamento aponta presença de 27 agrotóxicos na água de cidades do noroeste paulista

Informações estão em pesquisa divulgada em outubro pela Organização Não Governamental Repórter Brasil, com dados do Ministério da Saúde. 25 cidades da região foram citadas no levantamento; confira.

G1 Goiás

26 de outubro de 2023

Compartilhe nas redes sociais

Uma mistura de 27 tipos de agrotóxicos foi encontrada na água distribuída em 25 cidades no noroeste paulista. As informações são de um levantamento divulgado em outubro pela Organização Não Governamental Repórter Brasil, com dados do Ministério da Saúde.

De acordo com a pesquisa, as cidades do noroeste paulista correspondem a 20% dos 128 municípios do estado de São Paulo que apresentaram esta quantidade de agrotóxicos na água – número considerado máximo.

São José do Rio Preto e Araçatuba, as duas maiores cidades da região, aparecem na lista com 27 pesticidas identificados na água. Outros municípios da região, como Birigui, Guapiaçu, José Bonifácio, Mirassol, Andradina e Castilho (SP) também estão na tabela (veja abaixo).

Em relação à Rio Preto, o abastecimento de água é feito pelo Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto (SeMAE). Já em Araçatuba, a empresa GS Inima Samar é a responsável pelo serviço (confira os posicionamentos dos órgãos mais abaixo).

Mais de 50 cidades do interior de SP, como Sorocaba, Bauru, Botucatu e Itu, também apresentaram a presença de agrotóxicos na água distribuída à população. Para conferir o número de agrotóxicos encontrados em cada uma delas, acesse este link.

A maioria dos exames identificou uma concentração dentro do limite considerado seguro pelo Ministério da Saúde para cada tipo de substância isolada. Ou seja, a simples presença de cada agrotóxico em uma amostra não necessariamente acarreta problemas para a saúde.

No entanto, a regulação brasileira não leva em conta os riscos da interação entre os diferentes tipos de pesticidas. É justamente a mistura de substâncias que preocupa especialistas.

O g1 questionou as instituições responsáveis pela distribuição de água nas cidades da região.

Em nota, a GS Inima Samar informou que a qualidade da água distribuída à população de Araçatuba obedece aos parâmetros exigidos pela legislação brasileira. Além disso, um engenheiro químico avalia as características da água mensalmente.

Já o SeMAE respondeu que os resultados obtidos pela análise da água distribuída em São José do Rio Preto apontam potencial presença de agroquímicos em índice inferior aos limites estabelecidos como aceitáveis na legislação vigente.

A Prefeitura de José Bonifácio informou que, no quadro de servidores, há um químico responsável pela análise da água. Dessa forma, não identificou problemas no consumo de água por parte da população, bem como disse que os laudos obtidos não correspondem aos índices divulgados pela ONG.

A Prefeitura de Mendonça afirmou que, de acordo com laudos, cumpre com legislações e as análises feitas em laboratório comprovam que a água está dentro dos parâmetros.

Em nota, a Autarquia Municipal de Saneamento Ambiental de Guaraçaí (SAG) disse que são feitas análises de acordo com o Ministério da Saúde e em nenhuma delas foram apontados indícios de agrotóxicos na água potável, para consumo humano, em 2021, 2022 e 2023.

Já a Prefeitura de Santa Rita d'Oeste informou que todos os níveis de agrotóxicos na água fornecida para a população sempre se mostraram abaixo do limite de segurança definidos pela norma ministerial.

A Sabesp, empresa responsável pelo abastecimento de água em Sebastianópolis do Sul, disse que atende à legislação do Ministério da Saúde, e as análises realizadas para agrotóxicos em 2022 apresentaram resultados abaixo do valor previsto na lei.

O g1 tentou contato os órgãos responsáveis pelo serviço de água em Américo de Campos, Andradina, Buritama, Castilho, Clementina, Marapoama, Mirassol, Palestina, Paraíso, Parisi, Santa Adélia, Santa Fé do Sul e Suzanápolis (SP), mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

A reportagem não localizou os responsáveis pelo serviço em Bilac, Birigui, Elisiário, Guapiaçu e Nova Aliança.

Veja mais notícias da região em g1 Rio Preto e Araçatuba

© 2024 Baru Observatório - Alguns direitos reservados. Desenvolvido por baraus.dev.