Logo Baru Observatório

Há duas décadas o Museu do Lixo promove educação ambiental na Capital

O Museu do Lixo completará 20 anos de criação no próximo dia 25 de setembro

G1 Goiás

16 de setembro de 2023

Compartilhe nas redes sociais

Repensar, Reduzir, Reutilizar e Reciclar. Esses são os quatro “Rs” que servem como base dos ensinamentos sobre consumo consciente no Museu do Lixo, na Capital. Criado no dia 25 de setembro de 2003, o lugar tornou-se referência entre as atividades de educação ambiental no Estado de Santa Catarina, pela forma lúdica e informal com que reforça conteúdos para os visitantes.

Todo o espaço do museu é montado e decorado com materiais reciclados. Inclusive as tintas usadas na pintura, a parede com vidros reutilizados e a mandala disposta no piso montada com tampinhas plásticas. O acervo conta com cerca de 40 mil itens recuperados na coleta ou por entrega voluntária.

Lá é possível conhecer coleções de itens domésticos, máquinas fotográficas e de costura, aparelhos de telefone e computadores, televisores antigos, discos, brinquedos, fitas cassete, fotografias, livros entre outras. Há inclusive uma biblioteca disponível, com exemplares incríveis!

O Museu do Lixo nasceu de um sonho de mais de 10 anos de funcionários da coleta de resíduos, que pretendiam resgatar materiais jogados no lixo para construir um espaço de memória sobre hábitos e consumos da sociedade.

As primeiras peças separadas foram colocadas, à época, no antigo galpão de triagem da coleta seletiva da Comcap. Hoje, as instalações estão organizadas em um prédio logo na entrada do Centro de Valorização de Resíduos, na Rodovia Admar Gonzaga, 404, no bairro Itacorubi, em Florianópolis.

A visita ao espaço conta com a participação de personagens como o “Reiciclagem”, o embaixador do meio ambiente, que apresenta a temática dos resíduos por meio de uma narrativa fantástica. Ao final da visita, os participantes fazem um juramento e assumem a condição de agentes ambientais.

O Museu faz parte de visitação monitorada ao Circuito do Lixo, no Centro de Valorização de Resíduos (CVR), local onde os resíduos coletados em toda a cidade são gerenciados de acordo com as diferentes frações: triagem dos recicláveis secos; compostagem dos orgânicos e transbordo dos rejeitos para encaminhamento ao aterro sanitário, entre outros.

O lugar recebe cerca de 7 mil visitantes ao ano. O espaço fica aberto de segunda a sexta-feira, das 7h às 15h30. As visitas devem ser feitas mediante agendamento prévio pelo telefone ou whatsapp (48) 3261-4826.

Leia também

Campanha contra a prática de dar esmolas é promovida em Florianópolis

Limpeza de canais de drenagem e manutenção hidrográfica são realizadas na Capital

Florianópolis disponibiliza atendimento gratuito de saúde por telemedicina

© 2024 Baru Observatório - Alguns direitos reservados. Desenvolvido por baraus.dev.