Logo Baru Observatório

Agentes de saúde e de promoção ambiental

Os agentes orientam os moradores sobre destinação adequada de resíduos, prevenção da dengue e mesmo o plantio de ervas e temperos em casa. O objetivo é incorporar as questões ambientais às noções de promoção da saúde, com ênfase nos determinantes sociais.

Baru Observatório

28 de janeiro de 2024

Compartilhe nas redes sociais

Fonte: Estadão

São Paulo possui agentes de promoção ambiental em 330 UBSs, que integram as equipes de Estratégia Saúde da Família e o Programa Ambientes Verdes e Saudáveis (Pavs). De 2019 a 2023, cerca de 3,4 milhões de pessoas participaram de atividades do projeto — 505 mil apenas no ano passado. A iniciativa trabalha temas relacionados a meio ambiente e saúde junto à comunidade, em temáticas que compõem os seguintes eixos: Biodiversidade e arborização; agua, ar e solo; gerenciamento de resíduos sólidos; agenda ambiental na administração pública; horta e revitalização de espaços públicos. 

No dia a dia, os agentes percorrem os territórios cobertos pelas unidades junto com os agentes comunitários de saúde (ACSs) para levar informação sobre o papel do meio ambiente na saúde. “No geral, 25% das doenças têm causas ambientais, e aí entra o conceito de saúde única, que considera o todo, porque não existe a saúde humana, do homem separado do meio ambiente e separado dos animais”, explica Mônica Hosaka, Coordenadora do Programa Ambientes Verdes e Saudáveis.

O trabalho tem como base o Diagnóstico Socioambiental Pavs, um guia com informações que mapeiam os riscos e potencialidades do entorno das UBSs, tais como saneamento básico, descarte irregular de lixo, cobertura vegetal, existência de nascentes, arboviroses (doenças virais transmitidas por artrópodes como mosquitos ou carrapatos) e a situação socioeconômica da comunidade.

Os agentes orientam os moradores sobre destinação adequada de resíduos, prevenção da dengue e mesmo o plantio de ervas e temperos em casa. “O objetivo é incorporar as questões ambientais às noções de promoção da saúde, com ênfase nos determinantes sociais”, explica Mônica.

A metodologia empregada está alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) da Organização das Nações Unidas (ONU) e busca fortalecer a participação social, integrando saberes e promovendo a reflexão sobre temas como a crise climática e a desigualdade social.

 

© 2024 Baru Observatório - Alguns direitos reservados. Desenvolvido por baraus.dev.